quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Transferência

O Estatuto do Professor do Ensino Básico e Secundário obriga a uma redução no vencimento de cerca de 200€, durante 365 dias, quando um profissional passa de um escola privada para uma pública.

Apesar de consagrada pela lei (ainda que a meu ver, ferindo a constituição), é incontestável o carácter mafioso e imoral desta medida. Toda a gente diz por aí, que para trabalho igual, salário igual!

Já que no Parlamento ainda ninguém se indignou com isso, pelo menos os sindicatos deveriam lutar para que os professores fossem equiparados aos gestores (em termos de prática, não de salário, claro), que quando são contratados pelo Estado auferem salários chorudos com a desculpa de que não seria justo perderem rendimentos por prestarem um serviço público (lembrem-se de Paulo Macedo, director Geral dos Impostos que ganhava a módica quantia de 25.000€ mensais)!

A não ser que o ensino não seja uma actividade de serviço público, é mais um prego cravado nesta profissão!

2 comentários:

Márcio Branco disse...

Hoje em dia tudo serve para retirar dinheiro.
Isto claramente é um ataque às carteiras de todos, menos daqueles que ganham já muito, como é o caso dos politicos.
Hoje via um programa na sic noticias sobre o parco aumento salarial e o representante das industrias diz o seguinte: "Não se pode aumentar mais porque a produtividade é baixa. Já viram o nosso PIB em relação a espanho por exemplo? Com um PIB destes as industrias não podem aumentar".
Então pus-me a pensar. Então agora uma empresa tem em conta o PIB para dar o salário?? Pensei que era uma questão simples de produção, dava lucro aumentava, não dava lucro não aumentava. Assim acho que nunca iremos ter aumentos, as empresas agora fiam-se no PIB e os empresários vão enchendo o bolso e a classe média que aguente com o PIB baixo!!!
Mas é assim, viva o alargamento das fronteiras no espaço shegeen.

Azul disse...

Boa Noite!

Passo para te deixar um beijo e os votos de um Feliz Natal.

Azul