terça-feira, 25 de março de 2008

O vídeo

Depois de receber algumas "sms" entrei no Youtube para visionar a filmagem da aluna que agrediu a professora por causa de um telemóvel. Imagens deploráveis! Tanta celeuma, primeiras páginas de jornais, peças televisivas, opinião de entendidos e tudo por causa de alguns empurrões e piropos mais inflamados?! Já vi muito mais nas sessões de "Wrestling" das manhãs da TVI; tal modalidade é considerada entretenimento tem muitos fãs entre os mais novos, que até aparecem nas bancadas para assistir ao vivo e a cores as cenas de violência divertida (seja lá o que isso for).

Aluna, professora e Comunicação Social deveriam ser acusadas de quebra de expectativas e de publicidade enganosa. Andamos tanto tempo a ouvir falar de violência nas escolas em geral e nas salas de aula em particular e quando finalmente sai o vídeo, não passa de uma desilusão!

Acho que precisamos de ser mais profissionais e aprender com quem realmente sabe! Um estágio nos estabelecimentos de ensino americanos, em que alunos entram armados e disparam indiscriminadamente, seria uma rampa de lançamento para um patamar digno de um país verdadeiramente desenvolvido!

2 comentários:

Márcio Branco disse...

Penso que este problema seja mais complexo que apenas mudar uma ou outra politica mas como sei que neste blogue tenho voz aqui vai a minha opinião:
Em primeiro lugar a maioria dos professores ainda não encarou que vivemos tempos diferentes e ainda pensam que vivem no regime de opressão onde a palavra do professor era lei. Nesse tempo milagroso, os professores eram das pessoas mais cultas do país, as mais respeitadas na freguesia e a sua opinião era bem recebida por todos, na sala de aula eram lei e podiam fazer o que quisessem, sem falar que eram muito bem pagos. Claro que os tempos mudaram mas os professores e os candidatos a tal (alguns repito, mas penso ser mais do que 80% deles) ainda se iludem e pensam que esse tempo vai regressar e como tal não se modernizam nem se adaptam, ficam simplesmente à espera que o tempo de reforma chegue.
O segundo ponto é que a sociedade mudou e a informação chega de todo o lado, agora mesmo antes de se chegar à escola, em casa via internet se tem acesso a informação, muita, confusa e variada. Mas mesmo assim informação, na televisão também. E os alunso chegam à escola com isto tudo na cabeça e precisam de ser ajudados a distinguir a boa da má informação e a serem ajudados a fazerem a sua propria pesquisa de boa informação, mas a maioria dos professores não, não entendem nem querem actualizar-se e obviamente que existe um choque grande.
Outro aspecto é a falta clara de educação em casa, os pais hoje em dia não educam e deixam esse papel para escola, por sua vez os filhos são educados no grupo de amigos e mais uma vez a escola e os professores não sabem encarar estas mudanças.
Eu vejo os professores como sendo uma forma quadrada que não permitem que as outras forma se expressam, tudo o que é redondo, triangular ou diferente do quadrado está a mais e como tal são uma intromissão. INfelizmente para os professores hoje em dia a chegada a portugal de culturas diferentes faz com que a escola seja uma mini representação do sociedade em volta dessa escola, comunidades de ciganos, romenos, gente alcoolica, etc. A escola deve e tem um papel educativo importante, mas é preciso adaptação e com vinagre nunca se apanhou moscas.
O problema não é apenas de uma parte, é de todos, mas é importante os professores reconhecerem o seu erro. Eu como Licenciado em Educação e podendo trabalhar numa escola, ajudando os professores no dificil enquadramento pedagógico dos conteudos aos alunos em questão sei que pode ser possivel é não é impossivel termos alunos problemáticos mas motivados para aprenderem, agora é preciso saber o que a eles mais atrai e não dar a mesma treta formatada e igual para todos.
Existem pessoas que podem e querem ajudar, mas as capelinhas dos professores não permite ajuda porque a maioria não quer ser ajudado, prefere continuar a ditar leis e fazer ouvidos moucos a tudo o resto. A solução está nas parcerias e na modéstia do "só sei que nada sei" e sendo preciso um modelo de disciplina rigoroso para que os alunos também não abusem também é preciso um modelo flexivel de professores, que estejam dispostos a chegar a casa e preparar as aulas e estejam dispostos a estarem actualizados, porque fazer aulas no estágio e perpetuar o sistema através do método da sebenta não é a melhor opção, digo eu :-)
Mas estou sempre disposto a ouvir opiniões :-)

RockyBalbino disse...

O COMENTÁRIO ANTERIOR PASSSEI OS OLHOS MUITO AO DE LEVE, MAS NÃO COMENTO. NÃO VALE A PENA.

AGORA ESTA PROPOSTA SIM SENHOR! ESTÁGIOS DE TIRO AO PROFESSOR, ISSO SIM!