domingo, 23 de dezembro de 2007

O natal

Já percebi por que é que inventaram o natal! Há quem diga que foi invenção do Ministério das Finanças para dinamizar a economia, mas eu acho que foi invenção de alguma pessoa orgulhosa e com dificuldade de pedir desculpas directamente como eu!

Com o natal há a possibilidade de poder fazer de conta que me preocupo com os outros e descarrego o peso da consciência por não ligar ou escrever a muita gente durante todo o ano, enviando uma mensagem escrita, um email ou telefonando a desejar coisas originais como feliz/santo/óptimo natal e um próspero/fantástico/melhor ano novo! Escrevo/telefono sem mesmo saber se a pessoa está viva, reformada ou até emigrada; escrevo/telefono desconhecendo o que lhe terá acontecido durante todo o ano em que passei parte do tempo a lamentar que ninguém tenha feito o que agora assumo que fiz.

O natal é óptimo para fazer de conta: que nos preocupamos; que somos sensíveis; que somos muito solidários; que estimamos a família ao ponto de até gastarmos dinheiro em presentes para eles que nem para nós compramos; que temos tanto apetite e gosto na sua companhia, que somos capazes de comer durante todo o dia sem parar.

O natal é óptimo, mas injusto:quase toda a gente recebe subsídio de natal, mas este só deveria ser atribuído a quem comprovasse gastá-lo em prendas! Deveria haver uma forma de controlar isso e obrigar a devoluções caso o dinheiro fosse investido depois do dia 25! Por outro lado em Portugal deveria ser como em Espanha: as prendas só chegam a 6 de Janeiro e assim não se deita dinheiro à rua porque os saldos já começaram há vários dias.

Eis a minha mensagem de natal para aqueles que não me acompanharam durante 2007:

Se nada disseste até agora dispenso-te de o fazeres até 31/12 deste ano para retribuires o feliz natal e o bom ano novo que te desejo. Agradece-me, já que comigo poupas uma mensagem!


2 comentários:

Márcio Branco disse...

Ouvi num telejornal que este Natal os portugueses bateram mais um recorde, gastaram não sei quanto em compras natalicias e o que mais me chocou foi o seuinte comentário jornalistico: "Ainda dizem que há crise, a gastar dinheiro assim, os portugueses parece não estarem preocupados com as noticias recentes dos aumentos dos preços".
Esta frase fez-me logo lembrar a célebre frase do Guterres, "Em portugal não temos crise, quando 2 milhões de portugueses estão a passar férias no algarve".
Ao ouvir o jornalista fiquei com a impressão de que ele queria fazer uma reportagem em que os portugueses este ano bateram o recorde negativo de não comprarem nada, que com a crise estava tudo a passar fome e nem dinheiro houve para prendas de natal. Seria a noticia de miséria que mais convinha aos media, miséria em portugal, crise nas ruas, compras zero!!!
Então não é de realçar que mesmo a termos os piores salários da Europa consigamos comprar alguma coisinha para os nossos entes queridos ou amigos.
Não é de realçar que mesmo nos piores momentos temos de ter uma atitude positiva perante a vida e pelo menos durante um dia vamos esquecer a merd****** de país onde vivemos e que nos dá estas condições de merd****** e vamos viver como se estivesses bem, com bons salários, estabilidade no emprego, harmonia no lar, não é bom vivermos assim pelo menos um dia????

Anônimo disse...

Essa perspectiva parece-me um pouco injusta... Não é bom que se lembrem de nós numa época especial?
Só por curiosiodade - os destinatários da sua mensagem têm nova oportunidade em 2008?

Festas Felizes