quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

(Bom) Exemplo

Depois de marcar falta disciplinar, o professor transmitiu ao pai, através da Caderneta do Aluno, a sua indignação pelo hábito do filho usar e abusar das asneiras e palavrões que oferecia a torto e a direito aos colegas, sempre bem alto e com bom som, na esperança de que algo mudasse!
Chegado a casa, o miúdo mostrou o recado ao encarregado de educação, que exclamou admirado e exaltado: quem foi o cabrão do professor que te marcou uma falta disciplinar?

2 comentários:

Márcio Branco disse...

E palavras para quê??
É verdade o desfasamento entre escola e meio envolvente.
A integração custa e o educar de durante o dia e o "desiducar" à noite dá nisto.
De dia os alunos são uns e à noite em casa são outros, são como os emigrantes, na terra de acolhimento são estranhos e quando regressam às origens são estranhos também.
Os miudos é igual, na escola fala mal porque aquilo que aprendem em casa é inapropriado, em casa estão mal porque na escola não lhe ensinam nada.
E estamos assim :-(

Anônimo disse...

quem foi?