terça-feira, 27 de outubro de 2009

A misteriosa (in)certeza dos números

O ser humano terá sempre a tentação de tornar a interpretação numa das formas de satisfação da sua curiosidade natural.

Ler os astros, avaliar os fenómenos que nos rodeiam é por vezes entendido como charlatanice, outras como ciência.

A matemática é pródiga em relações com a natureza; basta pensar na regra de Fibonacci, que permite interpretar através de fórmulas, o crescimento espiralado de certos crustáceos.

Os números permitem, também, baseando-nos apenas no que cremos, estabelecer associações entre as nossas convicções e os milhões de algarismos que pululam à nossa volta. São os números de azar como o malfadado 13 ou da sorte como o 7.

Por exemplo, acredito que hoje, dia 27, exista alguém que experimente um sentimento de felicidade e que sinta que o 2 representa os dois elementos do seu casamento e o sete a sorte que ambos têm em fazer parte da vida um do outro...

Nem tudo se explica pela lógica e os mistérios da vida, das emoções, dos sentimentos, jamais serão todos desvendados por ela; por isso, que construamos a nossa realidade da melhor forma que conseguirmos, mas abnegadamente e que as nossas impressões permitam pintar a nossa existência com as cores que nos façam sorrir, mesmo que aos olhos dos outros elas sejam invisíveis. Afinal aquilo que se passa dentro de cada um de nós, de cada relacionamento só quem o vive é que sabe, entende.

Para quem faz da vida uma eterna aventura, permanente descoberta de si e dos outros, a minha homenagem pela persistência e dedicação em fazer deste mundo um lugar cada vez melhor à custa da entrega incondicional, da generosidade desinteressada, do carinho espontâneo, da partilha ilimitada.

A ti, que amas a vida, abre as asas do espírito e voa por cima das sombras das tuas dúvidas para um dia encontrares a luz das tuas certezas.

3 comentários:

Anônimo disse...

Quem expõe assim a sua alma, ainda que indirectamente, quem escreve com esta profundidade, ainda que espontaneamente, quem homenageia o ser humano e a vida no seu melhor, ainda que inconscientemente, não deve viver preocupado, porque sabe o significado de VIDA! Porque sabe que cada minuto, cada momento conta e pode ser eterno. Porque sabe que há sempre novos sabores, novas cores, novas paisagens, novos lugares, novas identidades para explorar, novas páginas para escrever, novas surpresas para desvendar, novas aventuras para viver. Porque sabe dar e dar-se. Porque sabe o valor do que é verdadeiro. Porque sabe o que significa amizade. Porque sabe muitas coisas importantes e outras tantas quer saber. Porque sabe que a sua existência é valiosa. Porque por muito triste e só nunca se perderá, nunca desistirá, nunca deixará de sorrir...e assim amará incondicionalmente e será amado como merece para sempre, para sempre:-)

RockyBalbino disse...

Certo. Cada um tem que descobrir os seus caminhos.

Anônimo disse...

Natal Feliz