segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Memória

A Sra. primava pela discrição. Não fossem os olhos verdes incandescentes, a oratória brilhante e não daria nas vistas! Discursava com propriedade e com a riqueza de vocabulário que caracteriza quem sabe do que fala, quem sabe o que diz (mas sem a petulância e a arrogância de quem julga tudo saber) e tem um dom natural para despertar bastante a imaginação e a curiosidade sobre o que aborda.
Depois de um primeiro teste de avaliação fui chamado ao seu gabinete. Tive boa nota e por isso estranhei a convocatória. Olhou para mim com uma calma reconfortante e num sorriso discreto disse-me: "Aprecio a forma como escreve; tem uma grande capacidade de contenção de palha."



Não mais esqueci aquele comentário... Hoje tento honrar esse elogio e respeitar as palavras ao ponto de não as desperdiçar com banalidades. Claro que a opinião de quem me lê pode ser diferente e por isso já estou a imaginar alguns a dizer-me, então "Por qué no te callas?"

Um comentário:

Toups disse...

vi o comentario q deixaste no blog dos Klepht. Não te mando uma msg de audio, mas espero q esta seja suficiente: CLÉFT