segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Olhares

O olhar dilui-se no vidro que nos permite mirar de frente e em segurança, a inteligência num estado menos evoluído, mas que a aprisiona. a imponência mantém-se, mas ainda assim é impossível não sentir pena. Imóvel resignado, o orangotango esperou paciente pela minha fotografia, mas a tristeza e o vazio dos seus pensamentos permitiram apenas captar formas. O conteúdo está lá longe, nas florestas da Indonésia onde este primata, de corpo, um dia também já terá sido livre.

2 comentários:

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Espelho dó nosso adentro...


Beijinho.

Anônimo disse...

Esse olhar perdido, resignado, quase humano, deixa-me revoltada.

Odeio Jardins Zoológicos.
O Tarrafal da bicharada que nem sequer entende porque lá está...
Recuso-me a visitá-los.

Didácticos para os mais pequenos?

Os animais podem ser observados nas enciclopédias ou nos documentários, onde os comportamentos são espontâneos, onde correm e lutam com objectivos, e os olhares são vivos e livres.



"Tipa" anónima