segunda-feira, 16 de junho de 2008

Audição

Fala! Exprime-te, mas deixa-me ter o prazer de te escutar, calado, sem conversa, sem resposta! Permite-me devolver-te com silêncio o privilégio e a oportunidade de te ouvir!

De queixo apoiado nas mãos entrelaçadas, escuto-te e absorvo-te, cresço e floresço. O meu olhar perde-se no escuro das pálpebras que se abrem e ouço-te com toda a intensidade e atenção.

Não quero interromper-te porque fazer-te parar é morrer um bocadinho. A tua voz mantém-me, sustenta-me, verticaliza-me o espírito e leva-me para lá do horizonte do teu ser...

2 comentários:

Paula disse...

E muitas vezes, não "sentimos" os nossos sentidos e não aproveitamos a vida e as sensações que nos proporcionam.
:)
Bjs!

Maria disse...

Olá Afronauta! Andas a navegar pelas palavras no mar de ácido...
Falar no silêncio é o que me espera a mim, tantas vezes.
Espero que estejas bem.
Gostei muito de te visitar.
Beijinhos e um sorriso :)
Maria