quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Nostalgia

Ahhhhhh, que saudade de uma Francesinha! Cheia de molho de marisco picante a escorrer do ovo estrelado (que esconde as gambas) pelo queijo derretido, que se moldou ao pão (de forma), que oculta o suculento e tenro bife (de lombo), que dança entre as fatias de fiambre (da perna) e as linguiças fininhas (que são), mas deliciosas!
Devorar uma Francesinha é um momento de exaltação gastronómica, uma experiência de elevada intensidade e enorme actividade sensitiva... mesmo para quem não gosta, que se torce e contorce todo só de ouvir falar em abocanhar um bom pedaço.

Estou desejoso de sentar-me num daqueles animados restaurantes do Porto, que nós apreciadores de Francesinhas tão bem conhecemos e não precisam de ser identificados (não me pagam pela publicidade) e "forrar os estômago" com tal iguaria enquanto me deixo embalar pelo sotaque dos "morcões" no seu ambiente natural.

Não é para comer que se deve viver, mas desculpem que vos diga, ajuda bastante à nossa felicidade!

2 comentários:

a alma não está á venda disse...

Pronto despertaste-me a curiosidade.
Eu que não vou em francesinhas,pois nunca provei,mas quando for ao Porto vou tentar.
Beijinhos e um sorriso
Maria

Anônimo disse...

E somos duas...nunca provei nem perto de cair na tentação de o fazer.Mas confesso... vou fazê-lo.