sábado, 8 de dezembro de 2007

Press release

"Câmara de Lisboa autorizada a contrair empréstimo."

As negociações para a obtenção do empréstimo para saldar dívidas a fornecedores pareceu a compra de tapetes em Marrocos: perante o preço apresentado pelo vendedor respondemos com desinteresse, o que baixa logo o valor. O mais estranho é que se o valor foi calculado em função das necessidades, como é que passa de 500 para 400 milhões? Se esses 100 de diferença podem ser dispensados, por que foram incluídos?

Um comentário:

Márcio Branco disse...

Eles com 200 milhões já faziam a festa, mas era daquelas "demodé", com rissois e bolinhos de bacalhau. Assim pediram os 500 milhões para poderem oferecer um coktail de camarão.
Vá lá que o PSD até percebe de festas e sabia que no mercado existia um fornecedor de catering que fazia a mesma coisa por 400 milhões.
Crise resolvida e já vamos ter comida na mesa para os próximos anos, eu talvez não!!!
É que nunca se sabe quem pode ser convidado para a festa e talvez alguns dos convivas comam mais do que aquilo que está previsto comer :-)